Encontro debate reformulação da rede de saúde mental no Paraná

capafotoencontrodesaydemental

Profissionais que atuam nas áreas de Saúde, Educação, Assistência  Social e Justiça no Estado, estiveram reunidos na última terça (10) e quarta feira (11) no Colégio Estadual do Paraná, em Curitiba, para participarem do 1º Encontro de Saúde Mental no Estado do Paraná. O debate principal do evento foi em relação à implementação da Rede de Saúde Mental no Estado. A conselheira Wanderli Machado e o conselheiro Uilson Gonçalves Araújo, do CRESS/PR, participaram do encontro.DSC_0734

Uilson comentou que “foi o primeiro encontro em que pudemos discutir políticas com vários setores que envolvem o atendimento em saúde mental no nosso Estado. Durante estes dois dias nós discutimos a portaria nº 3.088, de 23 de dezembro de 2011 que  institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúde. O encontro oportunizou um amadurecimento nas discussões com os (as) profissionais que atuam nestas áreas a reformulação da rede de atendimento em saúde mental, os novos rumos, avanços e o fortalecimento da rede”.

O Paraná hoje possui um número muito reduzido de Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), que oferecem acompanhamento clínico e a reinserção social de pessoas com transtorno mental pelo acesso ao trabalho, lazer, exercícios dos direitos civis e fortalecimento dos laços familiares e comunitários. Segundo a própria Secretaria Estadual de Saúde o estado conta com 94 CAPS, sendo 21 CAPS ad, específicos para atendimento a pacientes de álcool e drogas. A criação dos Centros de Atenção Psicossocial faz parte da reforma psiquiátrica de 2001, e que priorizou o atendimento ambulatorial para evitar a internação em Hospitais Psiquiátricos e institucionalização dos pacientes, que em muitos casos acabavam isolados da sociedade.

DSC_0731

Ao debater a reformulação da rede no encontro, foi reforçada a necessidade de ampliação destes centros – em substituição aos Hospitais Psiquiátricos. O Paraná já recebeu 340 milhões de reais para serem investidos na saúde que devem ser revertidos na criação de mais CAPS. Para o conselheiro Uilson “se concretizada, esta reformulação vai tornar os serviços prestados aos usuários que precisam de atendimento em saúde mental mais humanizado, reconhecendo os cidadãos realmente como sujeitos de direitos”.

O evento foi realizado como etapa que precede o Encontro da Região Sul que acontece em agosto. O encontro local foi organizado pelo Comitê Gestor Intersecretarial de Saúde Mental, que envolve as secretarias da Saúde, Educação, Justiça e Família do Paraná.

1 comentário em “Encontro debate reformulação da rede de saúde mental no Paraná”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.